03 janeiro, 2016

Ah, o tempo!



Nada como um dia após o outro. Nada como o silêncio depois do barulho. Nada como a paz de repousar na própria pele depois do vendaval. Nada como descansar ao lado da própria companhia. Ah, o tempo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário