22 fevereiro, 2014

Controle

Mas, vem cá, me conta, de que janela você jogou fora seu manual de instruções? Por onde começo a procurar? Em que capítulo eu encontro tuas instruções básicas? Em que botão eu aperto play? Onde é que eu te desligo do automático e te trago aqui pra mim?
Às vezes eu tenho a sensação de que as coisas entre nós acontecem meio que em câmera lenta, sei lá. Outras vezes, parece que, quando finalmente o filme anda, você pausa e eu nunca consigo continuar. A verdade é que essa história anda rodando do seu jeito e, talvez, isso não seja tão legal, já que o seu jeito é algo que eu ainda não aprendi a lidar.
Fico aqui imaginando como seria se você não pausasse tanto esse rolo todo, se você não ficasse off por algum tempo e não acelerasse, antes de desacelerar novamente. Tanta coisa poderia ter acontecido nesse intervalo.. mas que só poderia, simplesmente porque você, por uma razão ou outra, prefere prolongar, ou sei lá o quê.. E, olha, pra falar a verdade, eu não gosto de inícios. Mas também não gosto muito de fins. Bom, mas enfim, o fato é que tudo poderia ser bem mais simples e menos filosófico do que isso.
Eu não quero saber como tudo vai começar, só quero que comece. Não quero saber quando vai terminar, só quero que demore. Não quero saber quando você vem, só quero que não vá.
Fica. Desliga. Me liga. Se liga. Se joga. Deixa rolar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário