19 maio, 2011



(...) como menina-teimosa que sou, 
ainda insisto em desentortar os caminhos. 
Em construir castelos sem pensar nos ventos. 
Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim.
A manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes

Nenhum comentário:

Postar um comentário