25 abril, 2011


Papel em branco, espectador de uma história que ainda está dentro da gente. Ele espera gentilmente, enquanto a caneta desliza delicadamente iniciando sua dança. Escrever é presenciar a caneta acariciando o papel. Nossas digitais, são apenas testemunhas silenciosas daquele momento de entrega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário